Ver ecrão inteiro

“Dentro de mim outra ilha” – a peça que abre oficialmente a 7ª edição do Festival Kinani.

A companhia de Dança contemporânea – CulturArte sob direcção do artista Moçambicano, Panaibra Canda apresenta nesta 7ª edição do festival KINANI, a prestigiada peça “Dentro de mim outra ilha”. Uma criação que consiste num encontro entre o “eu” e o “tu”, entre o ser indivíduo e ser parte do seres humanos.

“Dentro de mim outra ilha” estreou-se inicialmente em 2004 na cidade de Maputo, foi premiada em Paris nos encontros coreográficos africanos, 2006, foi apresentado em mas de 30 palcos em várias cidades do mundo como Paris, Amsterdam, Lisbia, Roma, Pescara, Berlim, Hamburgo, Barcelona, Biarritz, Tunes, etc.

Entre musicalidades e movimentos, Canda e a companhia CulturArte buscam representar na peça a convivência entre o “ser/indivíduo ” e a frágil linha que o liga com o outro, num contexto paradoxal do mundo actual da globalização, onde o ser co-habita num mundo onde há escassez e abundância, secas e inundações, pobres e ricos, subdesenvolvidos e desenvolvidos.

De acordo com o KINANI, a escolha desta peça para a abertura oficial da 7ª edição é consubstanciada pelo fato de ser uma das criações importantes que revolucionou a dança contemporânea em Moçambique e em Africa (de forma geral) e abriu espaço para o surgimento de vários coreógrafos e linguagens coreográficas nacionais que hoje são reconhecidas na esfera nacional e internacional.

A apresentação desta criação, enquadra-se também no início das comemorações dos 20 anos da companhia CulturArte – uma das primeiras companhias independentes da dança contemporânea que estimulou e deu o suporte para o desenvolvimento da dança contemporânea, em particular a cena independente, incluindo a criação desta plataforma que é o único espaço no País de encontro entre grandes fazedores de dança contemporânea no país e no mundo.

A CulturArte continua a desenvolver vários projectos artísticos, incluindo criações, mostras e projectos de formação para incentivar projectos de dança e artistas locais assim como divulgar e contribuir para o desenvolvimento desta arte perfomativa.

Recorde –se que Panaibra Canda, foi recentemente distinguido pela revista alemã TANZ na categoria “novas promessas para o futuro da dança 2017” uma lista que inclui 30 artistas internacionais.

Esta peça será apresentada no dia 21 de Novembro, no Museu de Pescas a partir das 19h.