Ver ecrão inteiro

Semelhanças culturais unem Moçambique e Madagáscar no Festival KINANI.

“2M Project” é o nome do mais recente trabalho coreográfico do conceituado artista Moçambicano Pak Djamena e da bailarina Malgaxe Judith Olívia Manantenasoa, que será estreado na 8ª edição do Festival KINANI, em Novembro próximo.

O projecto 2M foi antecedido por um processo de pesquisa coreográfica onde os artistas buscavam atributos culturais que representam os dois povos (Moçambique e Madagáscar). Países com uma rica diversidades culturais e que historicamente já partilham algumas características socioculturais comuns.

Segundo explicam os artistas, 2M é um projeto artístico que procura nas suas acções, configurar alguns aspectos da fragmentada história cultural e social dos dois povos. O ponto de partida é através de uma pesquisa cultural desvendar a tradição comum existente nos dois países. Partido do pressuposto histórico do movimento de pessoas escravizados entre costa dento cruzado estas duas regiões que sugerimos trabalhar.

Pak Ndjamena (nome civil Bernardo Guiamba) é um bailarino e coreógrafo contemporâneo. Frequentou a Escola Nacional de Dança aos seus 8 anos e em 2001 começou a desenvolver os seus trabalhos no campo da dança contemporânea através do projecto “Dança nas Cidades – Alma Txina”.

A artista Malgaxe já é conhecida nos palcos da dança contemporânea em Moçambique, desde a sua estreia no Festival KINANI. Dona da peça Metámophorse que percorreu o mundo sob a gestão da Yodine produções. A naturalidade dos seus movimentos corporais e a combinação melódica das suas obras é o que torna a artista uma das mais aplaudida nos palcos da dança contemporânea.

Dois artistas, dois países e duas culturas no palco da 8ª edição do Festival para mais uma festa da dança contemporânea em Moçambique.
Produção da peça: Yodine.
Apoio: Instituto France, Culturarte – Kanda Yetu e CCFM.

Não perca! De 19 a 24 de Novembro.
Red: Belarmino A. Lovane